ENCONTROS VIRTUAIS/ DADOS COMPLEMENTARES

Os encontros "quase impossíveis" são os seguintes:


1) BACH & PIXINGUINHA, por MÁRIO SÈVE & MARCELO FAGERLANDE – sax/flauta e cravo. Projeções/mapping: de Leipzig na Alemanha à Lapa carioca.


2) NAZARETH & CHOPIN, por CRISTÓVÃO BASTOS & MAÍRA FREITAS – piano solo e a quatro mãos. Projeções/mapping: Cinema mudo, Cinelândia e Varsóvia.


3) BARTOK & HERMETO PASCOAL, por TOMÁS IMPROTA TRIO & KIKO HORTA – piano (com contrabaixo e bateria) e acordeão. Projeções/mapping: de Budapest na Hungria ao São João no Nordeste, mais astros e meteoros.


4) DEBUSSY & TOM JOBIM, por CRISTINA BRAGA & SACHA AMBACH – harpa, piano, sintetizadores. Participação especial de MÁRIO SÈVE - sax/flauta. Projeções/mapping: de Ipanema à Torre Eiffel, chovem rosas e voam pássaros.


5) VILLA-LOBOS & EGBERTO GISMONTI, por JAQUES MORELENBAUM & DUO GISBRANCO – violoncelo e dois pianos. Projeções/mapping: Maria Fumaça, Trem Caipira, explosões abstratas, fogos na igreja do Carmo, uma fantasia carioca e fluminense.


6) MOZART & ALTAMIRO CARRILHO, por MARIA TERESA MADEIRA & DIRCEU LEITE - piano, flauta e conjunto regional. Projeções/mapping: Coreto, circo, parque e balão, de Salsburg na Áustria ao Rio crescendo nos útimos 90 anos.

CURRÍCULOS ARTÍSTICOS:

MÁRIO SÈVE - Diretor musical e intérprete (flauta e sax)

Saxofonista, flautista, compositor e arranjador, integrante e fundador dos quintetos NÓ EM PINGO D ́ÁGUA e AQUARELA CARIOCA , com os quais gravou 12 discos e recebeu muitos prêmios. Integra o grupo de Paulinho da Viola desde 1996. Lançou, em 2011, o CD autoral CANCIÓN NECESARIA, junto a cantaoutora argentina Cecilia Stanzione, mesclando milonga, tango, chamamé, valsa, choro, zamba e samba. Foi curador e idealizador, durante todo 2o semestre do mesmo ano, do ciclo MP, A e B, no CCBB do Rio de Janeiro, reunindo expoentes da música argentina e brasileira. Escreveu o livro VOCABULÁRIO DO CHORO e coordenou o SONGBOOK DO CHORO – vol. 1, 2 e 3 e o Livro/CD CHORO DUETOS – ‘Pixinguinha e Benedito Lacerda’ - vol. 1 e 2, com David Ganc. Produziu o festival anual RIOCHORO, reunindo grandes nomes do gênero. Foi Diretor Artístico do CENTRO DE REFERÊNCIA DA MÚSICA CARIOCA. Atuou também com Ney Matogrosso, Ivone Lara, Toquinho, Ivan Lins, Leila Pinheiro, Zeca Pagodinho, Moraes Moreira etc

 

MARCELO FAGERLANDE - cravo

“Um dos maiores cravistas do Brasil” (Revista Early Music America). “Um dos mais brilhantes instrumentistas de música histórica em atividade no Brasil” (Luís Antonio Giron, Gazeta Mercantil). “Um cravista simultaneamente sofisticado e natural" (Arthur Nestrovsky, Folha de SP).

Ex-aluno do grande Kenneth Gilbert, Fagerlande teve sua formação na Ale- manha, no Brasil e na França. Nota máxima em cravo pela Staatliche Hochschule für Musik de Stuttgart. Doutor em Musicologia pela Uni-Rio e pós-doutor no Institut de Recherche sur le Patrimoine Musical en France, Paris. Tocou em mais de dez países, e foi ainda diretor musical e regente ao cravo de óperas de Monteverdi, Telemann, Boismortier, Purcell e Rameau. Regeu a Orquestra de Câmera da OSESP. É professor da Escola de Música da UFRJ.Gravou diversos CDs no Brasil e na Alemanha, com destaque para Marcelo Fagerlande no Museu Imperial, Bach e Pixinguinha (Núcleo Contemporâneo) e A Arte da Fuga (Clássicos).

 

CRISTOVÃO BASTOS - piano

Compositor, pianista e arranjador da MPB, Cristovão Bastos é parceiro de grandes nomes como Chico Buarque, Paulinho da Viola, Paulo César Pinheiro, Aldir Blanc, Abel Silva e Elton Medeiros. Suas músicas e arranjos estão registrados nos discos de Paulinho da Viola, Nana Caymmi, Edu Lobo, Simone, Chico Buarque, Gal Costa, Leny Andrade, Milton Nascimento, Hebe Camargo, Ângela Maria, Zeca Pagodinho, entre outros. Com Abel Silva, destaca-se “Raios de Luz”, sucesso na voz de Simone, que foi gravado pela cantora Barbra Streisand. Ao longo de seus 45 anos de carreira, Cristovão Bastos recebeu vários prêmios, entre eles oito “Prêmios Sharp”, incluindo o de Melhor Música e melhor disco instrumental. Cristovão estreou como compositor com a trilha sonora do filme “Mauá, O Imperador e o Rei” e “Zuzu Angel”. No teatro, com o musical “Tia Zulmira e Nós” e em “Elis: Estrela do Brasil”. “Avenida Brasil” é seu primeiro disco solo.

 

MAÍRA FREITAS - piano

Pianista, cantora e arranjadora formada pela UFRJ. Tem uma carreira extensa como pianista erudita e ultimamente está se aventurando pela música popular. Filha de Martinho da Vila, estreou como cantora e pianista no disco "Poetas da Cidade" do pai e acaba de lançar seu primeiro disco solo como cantora e pianista pela gravadora Biscoito Fino. Paralelamente, faz shows com sua irmã Mart'nália e com seu pai. Estudou na Escola de Música Pró-Arte em Laranjeiras, no Conservatório Brasileiro de Música e formou-se Bacharel em Piano na Escola de Música da UFRJ. Foi aluna de Maria Teresa Madeira e Luis de Moura Castro. Participou de inúmeros festivais de música, cursos e master-classes no Brasil e no exterior. Recebeu vários prêmios nacionais e internacionais e se apresenta em muitas grandes salas de concerto do Brasil e lá fora.

 

KIKO HORTA - sanfona

Um dos principais solistas da nova geração carioca, Kiko Horta, além de acordeonista, é pianista e compositor. Realizou trabalhos de perfis diferentes ao longo de sua carreira. É membro fundador do Cordão do Boitatá e criador do grupo Forró de Mercado, que movimentou fortemente a cena musical carioca com noites repletas de improvisação e temas instrumentais. Horta vem se apresentando pelo Brasil e pelo mundo ao lado de grandes nomes da música brasileira como Wagner Tiso, Guinga, Paulo Moura, Yamandu Costa, Martinho da Vila, Zeca Pagodinho, Dona Ivone Lara, entre outros. É protagonista, ao lado de Marcelo Caldi, do projeto Duas Sanfonas e Uma Orquestra, com a Orquestra de Sopros Pro Arte. Juntos, eles celebram os grandes mestres do fole nordestino, Sivuca, Dominguinhos e Luiz Gonzaga, cujas obras são revisitadas em arranjos contemporâneos. Com o trio de Tomás Improta, seu som forrozeiro torna-se ainda mais vanguardista, sem perder a essência e o suingue brasileiro.

 

 

TOMÁS IMPROTA TRIO - piano (mais baixo e bateria)

Pianista, compositor, professor e jornalista, Tomás é filho do pianista e crítico de música Eurico Nogueira França e da pianista Ivy Improta. Aos cinco anos de idade, sem nunca ter recebido lições formais de música, venceu o Concurso de Iniciação Musical do Conservatório Brasileiro de Música, sendo contemplado com uma bolsa de estudos. Ainda na infância, começou a compor e a improvisar ao piano, influenciado pela música popular. Iniciou em seguida seus estudos formais. Na década de 1960, interessou-se pelo jazz e pela bossa nova, participando de vários grupos instrumentais, ainda como pianista amador. Paralelamente, começou a dedicar-se a duas outras atividades: professor de piano e jornalista. Produziu e escreveu programas sobre jazz para as rádios MEC e Roquete Pinto e publicou artigos sobre música em revistas especializadas. Estudou com Lidy Mignone (iniciação musical), Lúcia Branco, Alda Caminha, Luis Paulo Sampaio, Roberto Tavares, Lícia Lucas, Sonia Goulart e Linda Bustani (piano clássico), Esther Scliar (percepção), Francisco Mignone e Marlos Nobre (composição), Tenório Junior e Aluizio Milanês (piano popular e jazz), entre outros. Um de seus trabalhos recentes - Bartok Jazz - está presente no repertório deste projeto.

 

 

CRISTINA BRAGA

Cristina Braga, harpista e cantora, tem sido grande responsável pela divulgação da harpa no Brasil. Com seu trabalho persistente, mostrou que seu instrumento, além de solar com orquestras, também tem alma brasileira, tocando samba, choro, bossa, e participa de inúmeros projetos de música clássica e popular com a mesma desenvoltura. Foi aluna de Acácia Brazil no Rio de Janeiro, formada pela UFRJ, onde alcançou o prêmio de distinção “Medalha de Ouro” e de Susann MacDonald nos EUA. Tem 16 discos gravados, alguns lançados também na Europa, Japão, Taiw an e EUA. Ocupa o cargo de 1a. Harpista da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro onde tocou sob a batuta de nomes como Mistislav Rostropovich, Karl Martin, Sílvio Barbato, Sílvio Viegas, entre outros. É professora de harpa da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Na bossa nova tocou com Peri Ribeiro e Nara Leão, gravou em discos de Gal Costa, Marisa Monte, Chico Buarque entre outros.

 

 

SACHA AMBACK

Sacha Amback  é músico, produtor e compositor, que acaba de lançar sua trilha para a novela histórica Novo Mundo. Nascido em 1962, ganhou seu primeiro piano aos 9 anos de idade, e estudou por 12 anos seguidos. Formou-se em música pela USP, especializou-se em programação de sintetizadores, e integrou grupos como 'A Procura da Feiticeira', 'Hermelino e a Football Music' e 'Ânima'. É considerado uma referência da produção musical brasileira e trabalhou nos discos de Zeca Baleiro, Adriana Calcanhotto, Nenhum de nós, e outros. Foi criador de trilhas sonoras para filmes importantes como Doces poderes, Madame Satã, Nome próprio, Ônibus 174, etc; para ballets de João Saldanha como 'Dança de três'; e para video-instalações como "Mesuras" de Daisy Xavier. Tocou com artistas como Paulinho Moska, Lulu Santos, Ana Carolina, Ramiro Mussoto, Lenine, Milton Guedes e outros.

 

JAQUES MORELENBAUM - violoncelo

Começou sua carreira musical como integrante do grupo A Barca do Sol, e participou também da Nova Banda, em dez anos de parceria, com Antônio Carlos Jobim, tocando em espetáculos e gravações que os levaram a dividir um Grammy com o CD Antônio Brasileiro. Destacado como violoncelista, estudou música no Brasil e mais tarde ingressou no New England Conservatory, onde frequentou as classes de Madeline Foley, que, por sua vez, foi discípula de Pablo Casals. Em 1995 integrou o Quarteto Jobim Morelenbaum (juntamente com Paula Morelenbaum, Paulo Jobim e Daniel Jobim) com o qual excursionou várias vezes à Europa, incluindo apresentação na Expo'98, em Lisboa, além de constantes apresentações nos Estados Unidos e no Brasil e uma gravação do CD Quarteto Jobim Morelenbaum. Formou juntamente com Paula Morelenbaum e o renomado pianista e compositor japonês Ryuichi Sakamoto o grupo M2S, com o qual gravou vários projetos, incluindo os memoráveis Casa e A day in New York. Foi arranjador e solista de Caetano Veloso vários anos, já filmou com o diretor espanhol Pedro Almodovar, e hoje lidera seu Cello Samba Trio em gravações e turnês pelo mundo. Tem forte ligação com Egberto Gismonti, com quem tocou vários anos.

 

DUO GISBRANCO - 2 pianos

O Duo GisBranco é formado por duas pianistas que trazem em sua trajetória uma afinidade musical rara. Bianca Gismonti e Claudia Castelo Branco unem o interesse por ritmos brasileiros, latinos e jazz à uma sólida formação. O processo consiste em explorar ao máximo a sonoridade do piano na fronteira entre a música popular e erudita. Tendo como origem compositores como Astor Piazzolla, Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal, Villa-Lobos, Ernesto Nazareth, Edu Lobo e as próprias pianistas, Bianca e Claudia, que criam em cima de arranjos escritos por elas e pelos próprios compositores.

Bianca é filha de Egberto Gismonti e a atriz Rejane Medeiros. Seu virtuosismo pianístico lembra muito o espírito do pai, com quem começou a tocar aos 15 anos, depois de anos de estudo. Hoje já tem um DVD e 4 CDs gravados. Um deles é com a pianista Claudia Castelo Branco, que também é compositora, arranjadora e professora de piano e prática de conjunto. Estudou nos EUA, tem curso de percussão sinfônica e seu mestrado aborda a utilização do piano preparado na nossa música.

 

DIRCEU LEITE

Músico ultra requisitado para gravações e show s, ao longo de sua trajetória Dirceu tem tocado com diversos outros instrumentistas e acompanhado cantores e compositores, como Nana Caymmi, Maria Bethânia, Rita Lee, Caetano Veloso, Jards Macalé, Miúcha, Beth Carvalho, Zeca Pagodinho, Nelson Sargento, Luiz Melodia, Bebel Gilberto e Cássia Eller, entre muitos outros. Das inúmeras gravações de que tem participado, além de seu disco solo “Leitte De Coco” (1994), estão: DVD/MTV Rita Lee – 1998; DVD Cássia Eller – 2001; CD “Cacique Instrumental” de 2006 nos duos em especial com Carlos Malta e Hamilton de Holanda; DVD/MTV Zeca Pagodinho – 2007. Em 2006, Dirceu estreou no teatro participando do musical “Sassaricando” escrito por Sérgio Cabral e Rosa Maria de Araújo. O espetáculo foi transformado em CD duplo e DVD, lançados em 2007 pela gravadora Biscoito Fino. Em 2007, Dirceu participou do musical “Sweet Charity”, estrelado por Cláudia Raia.

 

 

MARIA TERESA MADEIRA

Ela já foi o som de Chiquinha Gonzaga na minissérie da Globo, e acaba de completar sua maior façanha: gravou, pela primeira vez na história, todas as 215 músicas compostas por Ernesto Nazareth. Sua intensa e multifacetada carreira musical é marcada por experiências importantes, seja no campo artístico (clássicos, choro e MPB), seja no acadêmico. Entre sua formação como bacharel em piano pela Escola de Música da UFRJ e seu título de Mestre em Música pela Universidade de Iowa, nos EUA, teve a oportunidade de estudar com mestres com quem se aperfeiçoou em interpretação. Como solista já esteve à frente de orquestras importantes no Brasil, nos EUA e na Argentina. Exímia camerista, apresentou-se ao lado de alguns dos mais importantes artistas do país. Já participou de 14 das Bienais de Música Brasileira Contemporânea, realizando várias estreias mundiais. Na área acadêmica, tem compartilhado suas experiências em cursos, workshops e Festivais de Música por todo o Brasil. Maria Teresa Madeira é, ainda, patrona do Concurso Nacional de Piano que leva seu nome, dedicado a revelar talentos de todas as faixas etárias. Já tocou nos EUA, Colômbia, França, Argentina, Finlândia, Tunísia, Espanha e Alemanha, e sua discografia conta com mais de 30 CDs.

 

CURRICULOS TÉCNICOS:

 

WE.SENSE

Clelio de Paula nasceu e foi criado em Xerém, Baixada Fluminense e estudou em Eng. Eletrônica e de Computação pela UFRJ fez cursos livres de Arte e Tecnologia na EAV no Parque Lage, atua como DevArtist ( uma mistura de artista e desenvolvedor ) que estende a sua ação à ativações de marcas, à programação criativa ou à desenvolvimento de experiências envolvendo realidade virtual e aumentada.
Através de experimentação de diferentes métodos como o escaneamento 3D, fotografias panorâmicas, computação gráfica e arte generativa, como assets tecnológicos para a produção de seus trabalhos.
Sua base de inspiração tem o objetivo de oferecer experiências sensoriais para o espectador criando ativações em tempo real que consigam envolve-los através de imersão e arte.
Já desenvolveu experiências e amostras em circuitos de arte como Tate Modern, Multiplicidade, Sonar +D, Casa França Brasil e Creative Lab. Trabalhou com marcas e pessoas como Heloísa Buarque de Hollanda, Desperados, Coca-Cola, Itaú, Brahma entre outras empresas e agências de publicidade.

RIZOMATIQUE

Rizomatique é um núcleo produtivo que nasceu em 2014 para a realização de trabalhos de arte, tecnologia, design e multimídia. Formado pelo artista e produtor Ihon Yadoya, pelo arquiteto Douglas Marote e pela produtora cultural Priscila Cha, o Rizomatique traz em seu conceito o desenvolvimento de projetos através de uma estrutura colaborativa de produção. Norteado por uma organização horizontal e baseado na integração de diferentes faculdades, realizou trabalhos em colaboração com artistas com foco em arte e tecnologia, especialmente projeção, dando ênfase ao apoio ou produção técnica/executiva para projetos, bem como na produção artística e de conteúdo. Fazendo o uso de diversas técnicas digitais ou tradicionais para a criação artística ou comercial de trabalhos, atua nas áreas de: vídeo mapping, vídeo e animação, instalações de LED, interação e sensorização, áudio, cenografia de palco, entre outras. O Rizomatique teve participação em festivais, exposições e eventos como Festival Amazônia Mapping (2016), Virada Cultural Municipal (2014, 2016 e 2017), Virada Cultural Estadual (2014), Fentepp - Sesc (2014), Arquinterface (2016), Encontros Virtuais - CCBB (2015), Mostra Grande Área - Funarte (2014), It's Not Personal it's Drag - Tag Gallery (2015), Senac Moda Informação (2017), Festa Michael Deep-RJ (Jan/2017), Festa Club Vibe 15 Anos (2016), Festival SSA Mapping (Salvador-2017), Mostra AVXLab (2017), além de ter ministrado aulas e oficinas de video mapping, programação e eletrônica, atuando também como VJ em eventos e shows.

contato@cineviola.com.br
(21) 98607-5662 - (21) 99433-6051
Rua das Camélias, 53 - Araras
Petrópolis - RJ - 25.725-050
GOSTOU? ENTRE EM CONTATO!
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Vimeo Social Icon
  • Instagram Social Icon